domingo, 23 de janeiro de 2011

De olho nas tendências do mercado têxtil para o Verão 2012

Première Brasil

A terceira edição do Première Brasil, principal evento da indústria têxtil da América Latina, ocorreu nos dias 19 e 20 de janeiro, no Transamerica Expor Center.
A ocasião fez o lançamento para a temporada Primavera/Verão 2012 de tecidos, fibras, acessórios e design. 
Foram mais de 108 expositores nacionais e internacionais, vindos de países tais como Itália, França, Espanha, Bulgária, Turquia, Holanda, Chile, Brasil, entre outros.

TENDÊNCIAS

Uma cartela de cores puxadas para os "tons pastéis", já se apresenta como uma das fortes apostas. Diferentemente do que vemos nesta estação, até as cores gritantes serão substituídas pelos rosados, azulados e esverdeados.
O NUDE, sempre em evidência em outras temporadas, será cada vez mais explorado juntamente com o cinza, amarelo, vermelho, camel e o laranja.

ESTAMPARIAS

Nestes termos, o que terá ênfase será o floral em diversos tamanhos, tanto no feminino quanto no masculino. O "animal print" não só com clássicos onça e tigre, mas também plantas, cobras, borboletas, sempre mais próximos à natureza.
Foram vistos também misturas de padronagens que brincam com o floral junto ao xadrez ou camuflado. 
O clássico "listrado navy" está presente.

MALHAS

Elas aparecem com estrutura delicadamente ondulada, frisada, encrespada ou plissada.

JEANS

Vem em cores mais escuras e trabalhados no camel.

TEXTURAS

A estação aposta em rendas, bordados, crochês, apliques e paetês. Há uma repetição também do lurex. As transparências e os tules virão mais forte em 2012.

No Denin, a novidade são as lavagens mais escuras, em tons de preto e cinza, em substituição às tachas, brilhos e pedrarias.


Imagens do Evento



Brasil e o mundo da moda

"Segundo dados da Abit (Associação Brasileira da Indústria Têxtil), o Brasil está entre os 10 principais mercados da indústria têxtil mundial e entre os cinco principais produtores de confecção. O País conta com mais de 30 mil empresas nos setores têxtil e de confecção, que geram cerca de oito milhões de empregos, entre diretos e indiretos. Com isso, as exportações têxteis brasileiras superam as importações em crescimento de negócio."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pesquisa personalizada